Total de visualizações de página

Postagens populares

Follow by Email

Pesquisar este blog

domingo, 2 de maio de 2010

Azul de óxido cobalto e branco: Porcelana, baixo esmalte, dinastias yuan,ming e qing,









O óxido de cobalto foi descoberto na Pérsia como um ótimo corante azul para ceramica...agüentava as mais altas temperatura sem volatilizar e também reagia bem em qualquer atmosfera,sendo um corante muito estável principalmente para as altas temprtura em que era queimada a porcelana( 1.300ºC ou mais). Desde a dinastia Tang o corante azul foi trazido por comerciantes árabes pela Rota da Seda,e os chineses o usavam cuidadosamente pois era caríssimo. Com o tempo foi descoberto um minério chinés que continha cobalto ,porém misturado com ferro e manganês, o que lhe dava uma cor mais acinzentada. Estas porcelanas deram fama à ceramica chinesa e muitas eram produzidas na cidade de Jingdezhen, que transformuo-se numa cidade grande e quase industrial,com divisão de tarefas. Marco Polo ficou admirado com estas porcelanas e a Europa não parou de admirar e importar esta ceramicas. Depois começaria uma corrida de tres séculos para intentar fabricar a porcelana. A mesma coisa aconteceu com os árabes. A maiólica com esmalte de estanho foi uma das primeiras tentativas de conseguir isto, primeiro com os árabes,depois com a Espanha muçulmana e depois pela Itália. Na China houveram períodos em não havia o corante da Pérsia ( azul mahometano) então usavam o local...isto tem sido muito útil para classificar e autenticar algumas peças. A historia dos azuis e brancos e complexa e cheia de detalhes, muito influenciada pelas mudanças políticas da china,por influencia dos pedidos do estrangeiro(Europa e o mundo muçulmano), mudava a cor, o estilo e a qualidade da porcelana, o tipo do esmalte,os formatos das peças, o jeito de aplicar o corante e a partir da dianstia Ming, houve a divisão em períodos segundo cara imperador , e assinava-se com um selo nas peças para datá-las. ..apesar disto há muitas peças falsificadas e os conhecedores ( geralmente antiquarios e colecionadores de museus)se utilizam de cruzamento de todas as características citadas, para autenticar as peças.

Nenhum comentário:

Postar um comentário